Nos Passos do MestreNos Passos do MestreNos Passos do Mestre
Formação

Parábola dos Talentos

“Mas aquele que havia recebido um só, saiu, cavou e escondeu o talento do patrão.”Mt25,18

Nos últimos dias estava meditando sobre minha caminhada de músico católico e também olhando para a Palavra de Mateus 25,14-30, a Parábola dos Talentos. Enquanto meditava fazia analogia entre os servos e a minha caminhada, o fruto desta meditação trago para vocês a seguir, se tiveres a oportunidade leia antes Mt 25,14-30.

Na parábola, o dono dos talentos confiou a cada um de seus servos, conforme as suas capacidades alguns talentos: a um deu cinco talentos, a outro deu dois e por fim deu um único talento a outro servo, sem discriminar nenhum deles.

Assim como na parábola exitem três tipos de servos, vejo que na vida do músico acontece de forma parecida: iniciamos a caminhada de diferentes formas e sempre passamos por algumas etapas.

Na primeira etapa, é quando o músico é somente músico. Tem sua preocupação diretamente com a tecnica e não consegue se despreender dos acordes, de olhar os outros que tocam junto. É aquele preocupado com tudo na execução da música, contudo ele não se preocupa com o essencial que é a oração. Este é um tempo eterno para alguns irmãos músicos, assim como o servo que teve medo de perder o talento e o enterrou, pode acontecer conosco se não buscarmos o aperfeiçoamento. Não quer dizer que vamos parar de tocar nas missas e grupos de oração por não conseguir avançar, pelo contrário, é hora de suplicar ao Espírito Santo que nos ajude a tocar e orar ao mesmo tempo, já que esta é a necessária para avançar.

Na segunda etapa, é o tempo em que o músico consegue rezar com a música, consegue ser assembléia mesmo tocando na missa, consegue rezar no grupo de oração, retiro e etc. Para chegar nesta etapa é indispensável a oração constante, o músico tem que ser uma pessoa de oração, aos pés da Palavra e fiel aos Sacramentos de cura. Ainda será necessário o aperfeiçoamento da técnica musical o que não impedirá de rezar, mas seu acorde e sua voz transformam-se em oração e não simplesmente na execução de uma pauta, bem como o servo bom que multiplicou os talentos.

Existe ainda uma terceira etapa, que podemos chamar de ministros de música, que são aqueles que vão além e ministram a música aos outros. Além de rezar com o canto, o ministro de música conduz os irmãos à oração atráves da música. Na diversidade de dons e talentos podemos encontrar diversos irmãos que possuem este dom de conduzir os outros sem mesmo saber a técnica, pois a Graça do Senhor é maior que tudo isso. Contudo não podemos ser como o servo preguiçoso que não põe os talentos a disposição.

Meus irmãos, falo com a propriedade de já ter experimentado o processo e de ainda estar experimentando, enquanto músico que busco viver o ministério verdadeiro sei o quanto é difícil passar por cada etapa, e quanto esforço temos que fazer para ultrapassarmos nossas vaidades e egoísmo. O que deve ser o principal em nós é a certeza que os dons não são nossos e sim do Mestre Jesus. Cabe a nós não enterrá-los e colocá-los a disposição do Reino!

Fiquem na Paz do Mestre Jesus,

Roger Duarte

Comunidade Nos Passos do Mestre

roger@nospassosdomestre.com.br


Evangelize
    
Login
Usuário
Senha
Facebook
Comunidade Nos Passos do Mestre © 2011 todos os direitos reservados www.nospassosdomestre.com.br - Desenvolvido por Tabor